Domingo, 21 de Julho de 2024
13°

Parcialmente nublado

Jeremoabo, BA

Meio Ambiente APICULTURA

Apicultura ameaçada: uso indiscriminado de agrotóxicos pode ter causado mortes de abelhas na região de Ribeira do Pombal BA

A ARCAS emite um grito de alerta

01/07/2023 às 21h46 Atualizada em 12/07/2023 às 10h02
Por: Pedro Son Fonte: Ascom ARCAS
Compartilhe:
imagem ilustrativa
imagem ilustrativa

O uso indiscriminado de agrotóxicos pode ser a causa da morte de abelhas na região de Ribeira do Pombal, na Bahia. Nesta semana, apicultores se depararam com cenas lamentáveis, com morte de abelhas de aproximadamente 50 colmeias em um único apiário. O território Semiárido Nordeste II está entre os maiores produtores de mel do estado da Bahia e a essa cadeia produtiva movimenta milhões na economia da região. O Presidente da ARCAS, José dos Santos Neto, conhecido como Zé Pequeno, lamenta o ocorrido que tem sido recorrente no território e ameaça o desenvolvimento da cadeia produtiva, impactando significativamente na renda das famílias na região.

 Os agrotóxicos são substâncias químicas utilizadas na agricultura para controle de praga, doenças e controle de ervas ditas daninhas. Nesse período chuvoso, o uso desses produtos são recorrentes na utilização do controle do mato dos plantio de milho, feijão, pastagens que coincidem com a morte de abelhas em diversos municípios, causando prejuízos financeiros aos Apicultores e danos irreversíveis à fauna e flora.

A Associação Regional de Convivência Apropriada ao Semiárido (ARCAS), instituição que atua no Semiárido Nordeste II há 29 anos, desenvolve um trabalho assessorando as famílias agricultoras, construindo alternativas para produção de alimentos sem utilização dos agrotóxicos e pautando o poder público em fomentar o desenvolvimento de tecnologias que permitam aos agricultores familiares produzirem alimentos saudáveis sem agredir a saúde das pessoas e à biodiversidade.

 As abelhas são essenciais para a vida do planeta por prestar um serviço ecossistêmico na polinização das plantas, sendo responsáveis por cerca de 80% da polinização de culturas agrícolas. “A morte de abelhas afeta diretamente a produção de alimentos e agrava a situação de insegurança alimentar das famílias brasileiras. Esse não é um problema apenas dessa região, deve ser uma preocupação global”, pontua Adriana Sá, coordenadora de projetos da ARCAS.

O uso indiscriminado de agrotóxicos tem causado danos ambientais e a vida das pessoas. Sem a implantação de uma política de regulação do uso desses produtos e conscientização ampla dos impactos negativos dessas substâncias, a situação tem se se agravado em todo país. É fundamental que as autoridades competentes implementem medidas de fiscalização e controle, bem como promovam a conscientização dos agricultores sobre práticas agrícolas mais sustentáveis.

Além disso, é importante investir em pesquisas e em campanhas de educação ambiental para entender melhor a problemática e construir frentes para preservação das abelhas e da biodiversidade.  “A perda de abelhas tem impactos significativos também no equilíbrio dos ecossistemas, por isso é essencial buscar alternativas mais sustentáveis para a prática agrícola”, completou Adriana Sá.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias