Domingo, 21 de Julho de 2024
13°

Parcialmente nublado

Jeremoabo, BA

Polícia Operação Policial

Polícia de Sergipe desarticula organização criminosa formada entre outros, por internos do Conjunto Penal de Paulo Afonso-BA

Jeremoabo também teve vítimas dos golpes da organização

19/04/2024 às 21h46 Atualizada em 25/04/2024 às 11h21
Por: Pedro Son Fonte: pa4.com.br
Compartilhe:
Polícia de Sergipe desarticula organização criminosa formada entre outros, por internos do Conjunto Penal de Paulo Afonso-BA

A Delegacia de Simão Dias SE, com apoio da Coordenadoria de Polícia Civil do Interior deflagrou a Operação Divisa 171 nesta quinta-feira, 18, em Sergipe e na Bahia, para cumprimento de mandados de prisão preventiva e de busca e apreensão domiciliar contra grupo suspeito de estelionato.

Segundo investigações, os alvos realizavam transações fraudulentas de bens ofertados em sites de vendas e redes sociais em municípios de Sergipe e Bahia. Durante a ação, foram cumpridos dois mandados de prisão preventiva em Simão Dias e um em Antas, na Bahia.

A ação também culminou em dois mandados de prisão e oito de buscas cumpridos no Presídio de Paulo Afonso, além de um mandado cumprido no Presídio de Estância. Um Auto de Prisão em Flagrante de arma de fogo também foi registrado em Antas, onde foi apreendido um revólver calibre 38.

As investigações revelaram que a organização criminosa, formada por internos do Conjunto Penal de Paulo Afonso e por pessoas que estavam em liberdade e que atuavam em Simão Dias e região, buscava por bens, como veículos, celulares e sistemas de som automotivo, anunciados em plataformas de vendas online ou em redes sociais. Os envolvidos se apresentavam como policiais militares ou civis e, até mesmo, como policiais rodoviários federais, para negociar a compra dos itens de interesse.

Após a negociação, os investigados enviavam falsos comprovantes bancários de transferências às vítimas. Para concretizar a inversão da posse dos bens, por vezes o grupo contou com a participação de terceiros de boa-fé, como taxistas e mecânicos, a fim de dificultar a identificação dos cúmplices responsáveis pela destinação ilegal dos produtos.

Os levantamentos da Delegacia de Simão Dias mostraram que os investigados que cometeram delitos em Simão Dias estavam cumprindo ordens especificamente de um interno do Conjunto Penal de Paulo Afonso, para pegar motocicletas em determinados locais e transportá-las para diferentes municípios da Bahia, onde eram repassadas a terceiros indicados pelo preso.

O inquérito policial mostrou ainda que muitas pessoas foram vítimas do grupo, inclusive profissionais que executavam seus serviços de boa-fé, sem imaginar que estavam cooperando com criminosos. Em um dos casos investigados, após uma negociação feita por aplicativo de mensagens, o suspeito instruiu a vítima a deixar sua motocicleta Honda Bros com um frentista em um posto de Simão Dias, após enviar um comprovante falso de pagamento. Posteriormente, o golpista contatou o proprietário de uma oficina mecânica, solicitando que o veículo fosse retirado do posto para a troca de óleo.

De acordo com as informações levantadas pela Polícia Civil, várias vítimas tiveram os seus bens levados e outras não receberam por serviços prestados. Em um dos casos, apenas uma delas perdeu cerca de R$ 15 mil.

A investigação deve continuar, uma vez que foram encontrados golpes similares nas cidades de Lagarto, Poço Verde, em Sergipe, Paripiranga, Cícero Dantas, Antas, Fátima e Jeremoabo, na Bahia.

A operação teve também as participações das Delegacias de Simão Dias, Itaporanga D’Ajuda e Campo do Brito, da Divisão de Patrimônio da Delegacia Regional de Lagarto, Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais (Core), Gope da Polícia Penal, 4ª Companhia Independente da Polícia Militar do Estado de Sergipe, Delegacia de Antas/BA e Delegacia Territorial de Paulo Afonso/BA.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
Ele1 - Criar site de notícias