Mais uma de TEMER: encerrados repasse de recursos para a Rede Própria do Farmácia Popular

Programa criado em 2004 pelo Governo do ex-presidente Lula

Mais uma de TEMER: encerrados repasse de recursos para a Rede Própria do Farmácia Popular

O governo de Michel Temer avança novamente na retirada de direitos essenciais conquistados pelos brasileiros. Um ofício do Departamento de Assistência Farmacêutica do Ministério da Saúde oficializa o encerramento de repasses para o Programa Farmácia Popular, criado em 2004, no primeiro governo do ex-presidente Lula.

A medida é um gigantesco retrocesso na saúde pública e irá atingir principalmente a população de baixa renda, que até então recebia gratuitamente remédios para controle de hipertensão, diabetes, asma, doenças nefróticas, distúrbios de natureza psiquiátrica e outras patologias.

O governo diz no documento que os medicamentos que deixarão de ser disponibilizados gratuitamente em milhares de farmácias pelo país serão distribuídos nos postos de saúde municipais. No entanto, em carta aberta, o Movimento Contra o Fechamento da Farmácia Popular alerta que a falta de medicamentos nas unidades básicas de saúde são freqüentes e generalizadas por todo o país.

O Ministério da Saúde menciona que os medicamentos não disponibilizados no Farmácia Popular Rede Própria, poderão ser adquiridos nos postos de saúde municipais. Entretanto, a falta de medicamentos nas unidades básicas de saúde são freqüentes e generalizadas por todo o país, sendo essa constante falta de medicamentos o que motivou a criação do Programa Farmácia Popular-Rede Própria.

A extinção do PFP-RP ampliará verba enviada aos municípios para compra de medicamentos, passando de R$ 5,10/habitante/mês para R$ 5,58/habitante/mês, aumento de 8% insignificante para as necessidades atuais dos municípios brasileiros.

Argumenta ainda o Ministério que a população não será prejudicada pois será mantida a segmentação AQUITEM FARMÁCIA POPULAR (Convênio com as drogarias e farmácias privadas). Contudo, não informa que a segmentação AQUITEM FARMÁCIA POPULAR distribui apenas 25 tipos de medicamentos e gasta 2 BILHÕES E 600 MILHÕES/ANO e cujos preços de referência dos medicamentos chegam a ser até 2.500% mais altos que os praticados em licitações públicas de secretarias de saúde país afora.

O Movimento Contra o Fechamento da Farmácia Popular – Rede Própria já começa a se mobilizar e intervir no processo.

Fonte parcial: BRASIL 247

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar