JEREMOABO-BA: CÂMARA REJEITA PROJETO DA ESTRADA DA PRODUÇÃO. SAIBA PORQUE

 

 Assunto mais comentado na cidade. Foto: ilustrativa internet 

 

JEREMOABO-BA: CÂMARA REJEITA PROJETO DA ESTRADA DA PRODUÇÃO. SAIBA PORQUE

A Câmara Municipal de Jeremoabo BA, em sessão realizada na última terça-feira, 13.08.2019, rejeitou o projeto de Lei 013, de 19.06.2019, que tratava da municipalização da chamada Estrada de Produção, na região do Silva, sertão jeremoabense, na divisa com Canudos BA. A rejeição ganhou espaço nas Redes Sociais e conversas de botequim, sendo um dos assuntos mais comentados no momento.

A intenção do Projeto emitido pelo Prefeito Municipal era municipalizar o trecho II da “Estrada da Produção”, com 13,50 Km, construído pelo grupo empresarial que idealiza o projeto, que prevê uma grande movimentação de caminhões na estrada. Ou seja, na prática, o município assume os serviços de manutenção, fiscalização e sinalização da estrada.

Este foi o fato! A oposição inteira votou contra e como detém a maioria dos votos, o projeto foi rejeitado e seguem as discussões.  Colocado o problema central passamos a algumas reflexões.

Primeiro, como manda a boa cartilha do jornalista prudente, pesquisei o projeto, a empresa e a licença ambiental do empreendimento, não obtendo êxito nas pesquisas no site oficial da Prefeitura, acredito que primeiro ponto para estabelecimento da empresa no município. Pelas conversas ouvidas, trata-se da intenção de implantação de um grande projeto, com comentários de investimentos totais de até 19 milhões de reais e com geração de emprego para 600 (seiscentas) famílias. Tudo, até agora, apenas idealização, comprovado em conversa com os vereadores de oposição que foram visitar o projeto in loco.

A intenção do projeto é o principal argumento dos vereadores de situação que vislumbram grande foco de desenvolvimento municipal, gerando empregos e arrecadação, e acusam os colegas que votaram contra por agirem com foro simplesmente político.

Os vereadores de oposição, que votaram contra, apresentam vários argumentos:

  1. A estrada beneficiaria praticamente o empreendimento que, com investimentos tão altos, não precisaria onerar o orçamento municipal para sua manutenção, considerando-se ainda que o projeto ainda encontra-se em fase de projeto;
  2. Já existe uma estrada na região, que pode também levar ao empreendimento, e que beneficia até mais famílias da região localizadas no Silva e Angico. Ressalte-se que os materiais transportados até agora para o projeto, inclusive postes de cimentos e outros, que envolveu carretas e bitrens, trafegaram por esta estrada, comprovando ser capaz de suportar, com melhorias, tráfego mais intenso;
  3. Outro forte argumento é que o município encontra-se com as estradas praticamente danificadas com as chuvas e é preciso que o município comece o imediato trabalho de recuperação, invertendo os valores e protegendo também nossa agricultura familiar. Ou todas também não são estradas de produção? Por elas são escoadas os produtos dos pequenos produtores. Porque não defender com tanta veemência a melhoria destas estradas também?
  4. Interessante que o Projeto que concedia 50 (cinquenta) casas populares foi rejeitado pelos vereadores de oposição na época, hoje na situação, com a argumentação de que era um projeto meramente político e que já se arrastava alguns anos. Os pobres que precisavam destas moradias não eram prioritários? Há um peso e duas medidas?

 Até entendemos que investimentos de tal envergadura precisam efetivamente da participação do município para estabelecimento. Mas, compreendo também, que é preciso cautela, sermos menos ansiosos e deixar que o projeto seja uma coisa mais analisável. Não há nada sendo colocado contra a empresa, que deve ser bem-vinda e oferecermos o maior apoio possível. O que se percebe claramente é uma chamada de atenção também para nossa agricultura, que precisa de apoio também para geração de emprego e renda. Cadê o apoio à cadeia do mel e tantos outros pequenos empreendimentos que temos?. O projeto está começando e poderá sim, no futuro, receber toda atenção do Poder Público. Como alguns estão se colocando parece até que o Projeto foi impedido de aqui se estabelecer. Não acredito que seja um fator que tirará do planejamento o investimento dos empresários em nossa região.

ATENÇÃO: A imagem de capa é meramente ilustrativa. Imagem de internet. 

 

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar