Jeremoabo-BA: Sindicatos promovem paralisação contra a Reforma da Previdência

 

 O movimento é um esquenta para a Greve Geral se o Governo insistir na proposta de Reforma 

 

Jeremoabo-BA: Sindicatos promovem paralisação contra a Reforma da Previdência

Pelo Brasil a fora hoje (22.03) foi Dia Nacional de Luta em Defesa da Previdência para protestar contra a reforma da Previdência do governo de Jair Bolsonaro (PSL), que retira direitos, diminui os valores dos benefícios, aumenta o tempo de contribuição e impõe a obrigatoriedade de idade mínima de 65 anos para homens e 62 anos para as mulheres terem direito à aposentadoria.

Em Jeremoabo-BA, o SINPROJER que agrega servidores públicos municipais e a APLB ligado mais diretamente à educação, promoveram manifestações durante o dia, trazendo para as ruas e para espaços públicos o debate sobre os malefícios da Reforma.

O SINPROJER reuniu-se na Praça Cel. Antonio Lourenço, conhecido como Praça do Frescão, e incluiu na pauta, além da manifestação contra a Reforma, alguns pontos municipais como reajuste dos servidores profissionais não docentes que trabalham em educação; reajuste e Piso Nacional do Magistério; reajuste e Piso dos Agentes Comunitários de Saúde e reajuste anual dos servidores públicos em geral, pontos que, até agora, não foram objetos de solução por parte da Gestão Municipal. Para Rita Andrade, dirigente da entidade, “é preciso resistir e porisso aderimos ao movimento nacional que luta contra a aprovação da Reforma”.

Já a APLB reuniu os seus sócios no Auditório do Colégio Municipal São João Batista. Segundo Júlio César, dirigente da entidade, “a manifestação é contra a Reforma da Previdência do jeito que o Governo Bolsonaro quer aprovar, sem ouvir as entidades sindicais, sem realizar audiências públicas, etc.”

O próximo ponto será uma greve geral se o Governo insistir em manter a proposta, segundo dizem dirigentes da CUT e demais centrais sindicais.

 Fotos cedidas pelos Sindicatos

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar