POSTAGEM CONTRA CANDIDATA A CONSELHEIRA TUTELAR EM JEREMOABO BA EXPÕE QUE O RACISMO CONTINUA FORTE

Categoria: Religião
Criado em Quinta, 29 Agosto 2019 17:04
Publicado em Quinta, 29 Agosto 2019 17:04
Escrito por Pedro Son
Acessos: 1511

O tempo passa mas ainda o racismo está presente 

POSTAGEM CONTRA CANDIDATA A CONSELHEIRA TUTELAR EM JEREMOABO BA EXPÕE QUE O RACISMO CONTINUA FORTE

Por: Pedro Son

A questão do racismo é uma coisa que parece que nunca vai se acabar. Aqui e ali fatos e acontecimentos demonstram que o sonho de Martin Luther King Jr, quando em seu famoso discurso em 1963, nos Estados Unidos, disse que:

"Eu tenho um sonho que um dia esta nação se levantará e viverá o verdadeiro significado de sua crença: ... que todos os homens são criados iguais'. Eu tenho um sonho que um dia nas colinas vermelhas da Geórgia os filhos de antigos escravos e os filhos de antigos proprietários de escravos poderão se sentar junto à mesa da fraternidade. ... Eu tenho um sonho que minhas quatro pequenas crianças vão um dia viver em uma nação onde elas não serão julgadas pela a cor de sua pele, mas pelo conteúdo de seu caráter. Eu tenho um sonho hoje.”

Vários e vários casos de racismo acontecem a todo instante. Podemos relembrar, como por exemplo, em 2014, o jogador Daniel Alves foi chamado de macaco num jogo de futebol, quando jogava pelo Barcelona, que teve ampla repercussão na mídia talvez porque envolvia alguém famoso. Mas em nossas cidades várias situações acontecem diariamente com pessoas negras, seja de forma sutil ou escancarada. .  Uma piada, uma agressão física, uma proibição para frequentar determinado local, um xingamento, um impedimento de contato físico, tudo isso prova que o racismo ainda é presente no dia-a-dia e muito ainda precisa ser feito.

Recentemente, nas redes sociais, conforme demonstrado na foto de capa, um elemento atingiu duramente a candidata a Conselheiro Tutelar de Jeremoabo, Nordeste do Estado da Bahia, chamando-a de “macaca” e conclamando a não votar na candidata, envolvendo-a também em conotações político-partidárias.   Roselma é negra, se diz “orgulhosa de minha cor” e, ao invés de se abater, luta para levar avante sua campanha e busca o caminho da justiça para providências cabíveis.

Muitos pensam que por estarem nas Redes Sociais nunca serão descobertas e nunca irão pagar por seus atos. Talvez tenha esquecido que, recentemente, um brilhante trabalho da Delegacia Territorial de Jeremoabo BA, conduzida pelo Delegado Dr. Ailton, desmascarou um Fake News, descobrindo sua identidade. Ou talvez também tenha esquecido que o racismo é um crime inafiançável com pena de até 3 anos de prisão.

Jeremoabo é um município que conta com maioria da população negra e parda (também reconhecida como negra), possui hoje 12 (doze) comunidades reconhecidas como remanescentes de quilombos, militantes diários para fazer prevalecer a luta cotidiana em busca de melhores dias e mais respeito. Inadmissível que há pessoas que ainda pensem assim.

Relembrar fatos como o de Evandro Fióti é empreendedor, rapper e dono da marca de roupas Lab, barrado por um segurança no evento São Paulo Fashion Week, mesmo sendo credenciado, e onde sua marca faria um dos desfiles, simplesmente por ser negro e só ter conseguido liberação quando o segurança entrou em contato com seus superiores, demonstra que apesar do fim da escravidão ter ocorrido em 1888, ainda falta muito mas muito mesmo para extinção deste tipo de ação[1].

Resta-nos a esperança de um dia ver concretizado o final daquele sonho de Martin Luther King Jr., externado no final de seu discurso:

"Quando nós permitimos o sino da liberdade, quando nós deixarmos soar em toda moradia e todo vilarejo, em todo estado e em toda cidade, nós poderemos acelerar aquele dia quando todas as crianças de Deus, homens pretos e homens brancos, judeus e não judeus, protestantes e católicos, poderão unir mãos e cantar nas palavras do velho espiritual negro: “Livre afinal, livre afinal”! Graças a Deus Todo-poderoso, nós somos livres afinal!"

 

  1. Caso citado na matéria: https://www.ibccoaching.com.br/portal/comportamento/racismo-nos-dias-atuais-ele-existe-e-precisa-ser-combatido/


[1]