Jeremoabenses participaram da Festa do São Gonçalo no Km 42, Santa Brígida BAs

Categoria: Religião
Criado em Sexta, 11 Janeiro 2019 02:00
Publicado em Sexta, 11 Janeiro 2019 02:00
Escrito por Pedro Son
Acessos: 1063

 

 Festa bonita com São Gonçalo, dança dos indios e muita devoção 

 Jeremoabenses participaram da Festa do São Gonçalo no Km 42, Santa Brígida BA

Por: Pedro Son

Dia 10.01 de cada ano, a Igreja Católica celebra o dia de São Gonçalo, padroeiro da comunidade do Km 42 do município de Santa Brígida. É uma festa bonita, de grande devoção e de muita cantoria e dança que reúne devotos não só do município mas de outros lugares como Jeremoabo -BA, Água Branca-AL e até índios do Brejo de Burgos. Jeremoabo se fez presente com dançadores do Coelho, Caracol, Rompe Gibão e Monte Alegre.

O novenário começou dia 01 e foi até o dia 09 com a participação de outras comunidades como a do Apostolado de Coração de Jesus, de Jeremoabo-BA, que teve participação numa noite. A festa teve apresentações da dança do São Gonçalo, com dois grupos se revezando, e até dança do Toré apresentado pelos índios.

No dia da festa, dia 10.01, teve missa e muita dança. É difícil não se entrar no clima. Quando as orações iniciais são apresentadas, um clima diferente toma conta do ambiente. Reinam a paz e a harmonia ritmadas pelos instrumentos e vozes. Homens e mulheres que dão tudo para estarem ali.

Mulheres como Dona Mariquinha (Maria Ribeiro Rocha), 83 anos, mestre de São Gonçalo desde 13 anos, amante da Dança de São Gonçalo de tal forma que preferiu não casar para que o marido não a atrapalhasse. "Minha vida é a dança. Já me apresentei até em Brasília e só deixarei no dia que morrer".

Ou como a ex-dançarina Dona Luzinete, do Monte Alegre de Jeremoabo BA, 78 anos, e que nunca falta a esta festa. Foi dançarina desde os 18 anos e, em 2010, um problema na perna e labirintite o tirou da dança. "É das devoções a que mais gosto de apreciar. Tenho saudades muitas". No tempo que eu dançava não podia se dançar com cabelo cortado, com nenhuma pintura e até aliança do dedo tinha que tirar.

E uma coisa interessante! Muita gente nova começando. Crianças com a devoção já assumida. Raniele, 8 anos, moradoras da Morada Velha, Santa Brígida BA. Uma família de muitos anos de dança. Desde sua avó, Maria de Lourdes, 56 anos, que dança desde 10 anos e de sua mãe, Sandra, 38 anos, que dança desde os 12 anos. Jandinson, 7 anos, filho de Jéssica , 23 anos, que começou a dançar com 7 anos. Tradição passando de pais para filhos, o que permite visualizarmos muitos anos da dança pela frente.