SINPROJER DENUNCIA EXCESSO DE CONTRATOS, FALTA DE REAJUSTE E ACENDE O ALERTA VERMELHO DA EDUCAÇÃO JEREMOABENSE

 

 As denúncias form hoje em entrevista numa emissora de Rádio 

 

 

SINPROJER DENUNCIA EXCESSO DE CONTRATOS, FALTA DE REAJUSTE E ACENDE O ALERTA VERMELHO DA EDUCAÇÃO JEREMOABENSE

Em entrevista concedida hoje (05.09) no Notícias da 104 da Rádio Jeremoabo FM, portanto de domínio público, Rita Andrade, presidente do SINPROJER (Sindicato de Servidores públicos do município), apontou as questões pelas quais passam os servidores públicos municipais, com salários ultrapassando o quinto dia útil e outros problemas relativos, e alerta á categorias do segmento da educação que pode estar comprometido o pagamento de décimo terceiro e salários no final de ano

Com dados estatísticos, Rita mostrou que a situação está bem pior do que se imagina. Ao argumentar as dificuldades de se pagar salários em dias e reajustes, foi apontado pela entrevistada que em Junho 2019 (último dado disponível), a Gestão Municipal pagou a 1.004 contratados e comissionados, sendo que na totalidade a Prefeitura possui 1.213 concursados, ou seja, mais de 80% de servidores hoje são temporários. Como a Lei só admite o trabalhador temporário em casos excepcionais, percebe-se que a exceção hoje é regra geral na Prefeitura Municipal de Jeremoabo.  O total pago aos 1.004 servidores ultrapassa R$ 1.073.000,00 (um milhão e setenta e três mil reais).

A Presidente do SINPROJER ainda apresentou um comparativo com as últimas gestões.

GESTOR

DATA BASE

CONTRATOS E COMISSIONADOS

VALOR

ANABEL

12.2016

282

295.000,00

CHAVES

06.2018

607

625.000,00

DERI

06.2019

1.004

1.073.000,00

Especificamente na Educação, este número nunca ultrapassava os 150 servidores e agora mais de 300 servidores temporários ocupam a Secretaria.

A questão mais agravante, segundo a entrevistada, é que a Gestão vem usando a receita do mês posterior para pagamento do mês anterior, que para os que entendem de planejamento financeiro, chegará o momento de descasamento total.

Mas a bomba mesmo, a questão deverasmente preocupante, é que o FUNDEB, principal fonte de pagamento dos professores, por exemplo, tem orçamento previsto para este ano de R$ 27 milhões e de janeiro a junho já foram consumidos R$ 20 milhões desta previsão.

Uma conta rápida: R$ 27 milhões dá uma média de R$ 2 milhões e meio. Se foram gastos, R$ 20 milhões em 6 meses, foram gastos R$ 3 milhões e 300 mil por mês. Assim sendo, sobram R$ 7 milhões e, se mantida a mesma proporção do que se vem gastando, serão necessários mais R$ 20 milhões até o final do ano. Previsão de momento mais difíceis ainda para a educação!

A situação é extremamente difícil, aliada ao momento brasileiro de contenção e despesas e limitação orçamentária e além de tudo que foi colocado, até o momento os servidores municipais não receberam o reajuste 2019 e os professores não receberam o Piso nacional do Magistério, que se arrasta desde o início de 2018.

A Presidente informou ainda que inúmeras tentativas negociais foram tentadas e sem nada avançar porisso só resta agora a via judicial para tentar resolver a situação.

No final, foram convocados os servidores municipais para manifestação por melhorias de condições de trabalho e reajuste de todas as categorias, no dia 07.09.2019, a partir de 14h30min na frente da Prefeitura Municipal.

Adicionar comentário


Código de segurança
Atualizar