Homem é preso após trocar o carro por uma arma para matar o assassino de seu filho: "Alma lavada"

Categoria: Policial
Criado em Segunda, 13 Maio 2019 12:10
Publicado em Segunda, 13 Maio 2019 12:10
Escrito por Pedro Son
Acessos: 764

Pouco antes de morrer, o rapaz havia desferido vários golpes de faca contra o filho do detido

Homem é preso após trocar o carro por uma arma para matar o assassino de seu filho: "Alma lavada"

Pouco antes de morrer, o rapaz havia desferido vários golpes de faca contra o filho do detido

O trabalhador Florisval Silva, de 47 anos, foi preso na última segunda-feira (6) pela Polícia Civil do Paraná após matar Lincoln Martins Rodrigues, de 20 anos. O jovem é o principal suspeito de ter matado com diversos golpes de faca o filho do detido, João Pedro Bento da Silva, de 22, após uma discussão na cidade Almirante Tamandaré.

Aos jornalistas, Florisval confessou o crime e explicou que, assim que o assassino matou seu filho, quis conversar com ele para entender o motivo de tamanha brutalidade. A resposta de Lincon, contudo, deixou o pai enfurecido.

“Primeiro ele riu na minha cara quando perguntei por que tinha matado meu filho. Daí, troquei meu carro por uma arma, dei mais um dinheiro, voltei e dei um tiro na cabeça dele. Sei que não podia fazer isso, mas estou com a alma lavada", contou.

O caso aconteceu na madrugada de 1º de maio, no bairro Lamenha, próximo de onde o detido mora. Lincon Rodrigues só foi morrer no dia seguinte ao tiro. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil do Paraná, Florisval trocou o próprio carro em Curitiba por um revólver de calibre 9 mm, com o qual executou o assassino na casa dele.

"Em depoimento, o suspeito não informou quem teria fornecido o revólver. Mas confessou o crime e confirmou que queria se vingar pela morte do filho", disse a Polícia em nota.

Florisval foi preso temporariamente por homicídio qualificado. Em entrevista ao Portal RedeTV!, a assessoria de imprensa da Polícia Civil do Paraná informou que é possível que a defesa do detido peça atenuante da pena, já que o crime aconteceu em um período muito curto após o morte do filho, o que mostra que Florisval agiu sob forte emoção. A decisão sobre o atenuante, contudo, está nas mãos da Justiça, e o tempo de prisão vai depender do tipo de condenação.

Ao conversar com jornalistas, o pai se emocionou e disse que perdeu a cabeça na hora. “Quando vi meu filho morto, fui falar com o Lincoln. Ele me disse que se a PM não tinha falado nada quem era eu pra falar alguma coisa. Sou o pai do rapaz trabalhador que ele rasgou como se fosse um cachorro. Sou o pai de um menino que nunca fez nada errado, que cuidou dele desde o primeiro sapatinho. Saí de lá e fui atrás de uma arma", desabafou.

“Eu estava transtornado, cego mesmo. Ele assumiu e só me falou: veja o que você faz. Dei um tiro na cabeça dele e poupei os outros que estavam com ele pra não cometer uma injustiça. Sei que não deveria ter feito justiça com as próprias mãos, mas na hora estava fora de mim. O que posso dizer é que meu filho não vai voltar, ele me tirou tudo, mas estou com a alma lavada", continuou Florisval.

Por fim, o pai admitiu arrependimento. “Estou arrependido sim, mas no calor do momento não tinha o que fazer. Sem dizer que eu seria a próxima vítima do Lincoln. Tenho certeza", disse. O detido ainda declarou que está disposto a cumprir a pena justa pelo seu ato.

Fonte: Rede TV

Foto: Divulgação Policia Civil do Paraná