Jeremoabo: São João passou por aqui. Balanço completo da festa popular.

Categoria: Destaques principais
Criado em Domingo, 28 Junho 2015 20:49
Publicado em Domingo, 28 Junho 2015 20:49
Escrito por Pedro Son
Acessos: 2026

Balanço completo de nosso São João

Jeremoabo: São João passou por aqui. Balanço completo da festa popular.

Por: Pedro Son

São João passou por aqui?

Passou sim e como passou, trazendo mais uma vez alegria, muita confraternização e festa, num clima de paz, não se registrando acontecimentos trágicos, exceto alguns pequenos acidentes causados pela bebida. Poderia ter sido melhor? Sim. Com certeza, se tivéssemos inibido os problemas que apontaremos no final da matéria. Mas, tivemos sim uma grande festa.  Vamos relembrar?

FESTAS NAS RUAS

Antes dos dias principais, muita coisa aconteceu:

13.06 – Festa do Bairro Santo Antonio com Marcelo Silva como atração principal;

14.06 – Festa na rua Marivaldo Moreira com as Bandas Dois Encantos e Tome Amor;

15.06 – Festa na Praça Abelardo Santana com Kbsão e seus teclados;

16.06 – Arraiá da Jeremoabo FM com Marcelo Silva e Banda Beijo Roubado e apresentação da quadrilha da Terceira Idade e ProJovem;

17.06 e 18.06 – Aconteceu o Concurso de Quadrilhas pela sétima vez consecutiva e que apresentou a Quadrilha Retirantes do Sertão, de Frei Paulo (SE), como campeã, ficando em segundo lugar a Quadrilha Arrasta Pé, de Fátima (BA). A Quadrilha Senhor do Bonfim, do Bairro Rumão, foi a única participante de Jeremoabo, terminando em 5º. lugar.

19.06 – Pela primeira vez foi realizada a “Quermesse Municipal” na Praça do Forró com muitas barracas de comidas e bebidas típicas e quadrilhas das escolas municipais;

20.06 – O dia festivo ficou por conta do Clube Cajueiro que apresentou mais um “Caju Tropical” com atrações como Desejo de Menina,

21.06 – A Alvorada foi o ponto altíssimo com mais uma vez contando com a participação de milhares de pessoas do município e visitantes de várias regiões do País, percorrendo as principais ruas da cidade num verdadeiro arrastão de alegria e festa. Puxada por Forró dos Plays que agradou apesar de algum saudosismo de Marcelo Silva e Banda. Quando a banda parou, já no retorno, foi a vez de Zezinho da Ema e a Favorita do Brasil, continuarem a festa tocando até duas da tarde. 

22.06 – A Praça do Forró apresentou em seu palco principal Danilo Pernambucano, uma revelação de forró autêntico e misturado; Rojão Diferente e a jeremoabense Paixão Sertaneja. 

23.06 – Dia do Casamento Matuto, outro ponto forte do nosso São João e que este ano teve uma companhia constante, a chuva, para alegria de muitos desta região quase sempre seca, e com a participação de centenas de cavaleiros e amazonas, numa cavalgada puxada por Danielzinho e Forrozão Quarto de Milha. Infelizmente, a chuva não permitiu este ano boas fotografias. A noite, na Praça do Forró, ainda tendo como companhia a chuva, apresentou-se o ex-Limão com Mel, Batista Lima; a dupla João Neto e Cesinha e a jeremoabense Amor a2.

24.06 – A noite tivemos, na Praça do Forró, o Trio Dona Florinda, Zé Costa e Amor a2.

Tivemos muitas outras atividades ligadas à época, nas ruas, nas casas, nas escolas, etc. Evidentemente que já não é o São João de outrora quando muitas fogueiras e muitos fogos davam um cunho particular e familiar a festa. Mais ainda as fogueiras são acesas na véspera da festa, dia 23, embora tímidas mas aparecem, como na Rua da Alegria que faz jus ao nome e foi uma das que registramos mais fogueiras acesas. O licor ainda é feito tendo como expoentes o Licor D’Cartys de Carmelita de Dudé; o Licor da Ceiça e o Licor da Vó Nina, em seus diversos sabores, desde os tradicionais jenipapo e murici, a acerola, banana, chocolate, café com leite, etc.

As Escolas públicas e particulares promovem suas festas juninas com quadrilhas, comidas típicas e muitas brincadeiras. Pena é que insistem em não fazer do forró e da música mais tradicional o seu repertório musical, pela responsabilidade que têm no resgate, promoção e valorização da arte e cultura.

A despeito disso, quero abrir um parênteses para parabenizar a equipe as Secretaria de Ação Social que fez um grande evento junino para os “jovens” da terceira idade, que arrastaram o pé até umas horas, ao som da sanfona de Gene e ainda tiveram pique para um arrastão forrozeiro até a Praça Cel Antonio Lourenço, onde apresentaram sua quadrilha no Arraiá da JereFM, no dia 16. Participaram mais de cem idosos da sede e vindos de lugares como Água Branca e Cirica, participantes do programa “Mais Atividade” da Secretaria.

Para melhorar mais ainda a festa, deixamos a nossa observação crítica em alguns pontos:

1.     MARKETING. Divulgação é fundamental e importante. A programação final só veio acontecer no dia 09.06, praticamente na véspera da festa, o que deve ter inibido a participação de muitos que poderiam participar, vindo de outros lugares. Como se trata de nosso maior fato social e econômico anual, é primordial que pensemos nisso!

2.     QUADRILHAS. Mais uma vez um grande concurso com melhoria do espaço e iluminação boa. Ainda é preciso melhorar o som já que algumas quadrilhas trazem conjunto sanfônico e divulgação com mais tempo.

3.     FINAL DE SEMANA (20 e 21.06).  Lamentavelmente nenhuma banda, nenhum sanfoneiro, na Praça do Forró a noite que ficou vazia. A cidade estava cheia. No dia 20 houve a festa de camisa mas, e a população que não vai prá festa fechada? Por que o concurso de Quadrilhas não foi nestas datas ou porque nãos e criou outro evento como Concurso de Sanfoneiros Regional ou Concurso de Quadrilhas da Microrregião Nordeste?

4.     ALVORADA, já dissemos, foi um grande evento com um trio elétrico de excelente som, povo muito animado, etc. Mas, poderíamos ter tido uma melhor organização no circuito, separando um pouco os paredões que algumas vezes atrapalharam o som principal, isolamento de algumas ruas de acesso às principais, etc.

Finalmente, a grande sugestão é de vez, colocarmos nossa Alvorada e o Casamento de Matuto, como grandes eventos nordestinos juninos, atraindo bem mais turistas e divisas para a cidade, contratando uma equipe profissional para fazer uma filmagem e preparação de vídeo e reunindo operadoras de turismo, imprensa e empresas interessadas no assunto, além de bater nas portas de Ministérios e Secretarias Estaduais do Turismo e Cultura. Outra sugestão seria programar um evento, após a alvorada, com, por exemplo, forró até as 18 horas. O marketing seria “Alvorada Junina e Forró: 13 horas sem parar”.