JEREMOABO NA HISTÓRIA: POR AQUI PASSOU A COLUNA PRESTES

 

 

 

 

JEREMOABO NA HISTÓRIA: POR AQUI PASSOU A COLUNA PRESTES

Retransmito aqui um artigo do Professor Gustavo Maia Gomes que trata da passagem da coluna Prestes por Jeremoabo. Embora não seja citada a data, pesquisas nossas mostram que foi por volta do ano de 1926, quando, inclusive, também a coluna esteve em Ribeira do Pombal, exatamente em 26.06.1926.

 Vamos ao artigo:

 “Jeremoabo: no rastro da Coluna Prestes”

 Gustavo Maia Gomes

Estivemos, meu irmão Ivan e eu, em Jeremoabo (BA), no dia 24/10. Nossa estada foi curta, mas é bom saber que, quase 90 anos antes, por ali passou a Coluna Prestes, em marcha precipitada pelo fracasso da sublevação tenentista de São Paulo e Rio Grande do Sul (1924).

Da capital paulista, foco principal da revolta, os militares conseguiram expulsar o governador e assumir o controle político, antes de serem vencidos pela reação do governo federal. Com o fracasso da rebelião, eles fugiram para o Paraná. No Rio Grande do Sul, o êxito da revolta foi ainda mais efêmero. Quando a rebelião foi dominada, os gaúchos nela envolvidos fugiram na direção do Paraná, onde se reuniram aos revoltosos paulistas.

O que ficou conhecido como Coluna Prestes foi a junção dessas duas forças – de paulistas e de gaúchos –, reforçadas por algumas mulheres e por civis que se agregaram ao grupo, ao longo do percurso. 

Convencidos de que não podiam vencer as tropas do governo federal, os revoltosos decidiram empreender uma marcha sem destino pelo Brasil, alimentando a esperança de que sua passagem pelo interior desencadeasse uma revolução nacional. Passaram em vários locais do Nordeste. Jeremoabo foi, apenas, um deles.

Em dois anos e meio, a Coluna percorreu 25.000 km, quase sempre, andando a pé, sob as piores condições imagináveis. No seu encalço, tinha permanentemente tropas sob o comando do governo federal, às vezes, formadas por jagunços.

Com exceção do general Isidoro Dias Lopes, cuja idade não permitia grandes esforços físicos, todos os líderes militares “tenentes” que participaram das revoltas de São Paulo e do Rio Grande do Sul se agregaram à Coluna. Pelo lado paulista, Miguel Costa tornou-se seu comandante (o gaúcho Prestes era apenas o chefe do Estado Maior, embora tenha sido o líder que mais se destacou).

Da Coluna Prestes participaram pessoas que viriam a ser líderes políticos importantes no Brasil dos anos 1930-64, como Eduardo Gomes, Juarez Távora, Siqueira Campos, João Alberto e o próprio Luís Carlos Prestes.

Jeremoabo fez parte dessa história.

 

Publicado em http://gustavomaiagomes.blogspot.com.br/

Foto: memorias de pombal